O País – A verdade como notícia

Acidentes de viação mataram mais de duas mil pessoas em 2020

Pelo menos 2.504 pessoas morreram, vítimas de acidentes de viação, no ano passado, em todo o país. Este número significa um aumento quando comparado com 2019, ano em que foram registadas 2.078 mortes. Os dados constam do relatório do Instituto Nacional de Estatística (INE), intitulado “Estatísticas de Acidentes de Viação 2020”.

Um documento, 35 páginas e informações relevantes ou mesmo preocupantes por detrás dos números. O relatório do Instituto Nacional de Estatística faz uma radiografia dos últimos cinco anos, ou seja, de 2015 para 2020, dos acidentes de viação, condições das estradas nacionais, assim como crescimento do parque automóvel.

Comecemos pelas mortes causadas pelos acidentes de viação. A brochura do Instituto Nacional de Estatística, a que tivemos acesso, aponta para um total de 2.504 mortes causadas pelos acidentes de viação no ano passado, uma tendência crescente em comparação com 2019, ano em que os sinistros fizeram 2.078 vítimas mortais, depois de uma aparente melhoria quando comparado com há dois anos, ou seja, 2018 que se mostrou mais mortífero com 3.825 óbitos.

A província de Zambézia lidera o rácio de óbitos por acidentes de viação, com 571 mortes em cada 100 mil habitantes, de acordo com os dados do ano passado, um declínio quando comparado com 2019, em que 804 pessoas morreram num universo de 100 mil residentes.

Depois de Zambézia, Nampula conta com mais pessoas que perdem a vida em consequência de acidentes de viação. No ano passado, num total de 100 mil habitantes, 536 morreram nas estradas nacionais, uma tendência crescente quando comparado com o rácio de 444 óbitos em cada 100 mil habitantes, de 2019.

Tete e Manica são as províncias com menos óbitos por acidentes de viação. Tiveram, no passado, o rácio de 222 e 260 vítimas em cada 100 mil habitantes, respectivamente. Uma subida para Tete quando comparado com 2019, com 197 mortes e uma redução para Manica com 272 óbitos, num universo de 100 mil residentes.

Além da subida do rácio dos óbitos dos acidentes de viação, há a destacar, igualmente, os tipos de feridos. Por exemplo, em cada 100 mil habitantes, 266 eram feridos graves, no ano passado, por conta dos sinistros rodoviários, uma tendência decrescente quando comparada com 2019, em que o rácio de feridos se situava nos 271 em cada 100 mil residentes.

Os feridos ligeiros em resultado dos acidentes de viação também tendem a reduzir, com o registo de um rácio de 333 pessoas feridas em cada 100 mil habitantes em 2020, contra 392 feridos ligeiramente do mesmo universo.

Verifica-se uma tendência crescente do parque automóvel, ao passar de 661 355 veículos em 2015 para 1 112 855 em 2020, correspondendo a uma variação de 68,3%.

Ou seja, em cinco anos, houve acréscimo de 451.500 carros no país, sendo que foi no período 2019 e 2020 em que as pessoas compraram mais viaturas com os dados a apontarem para 277.248 veículos.

Nos últimos dois anos, as viaturas mais compradas foram ligeiras, contribuindo com o crescimento de 36.6 por cento do parque automóvel. Neste período, os tractores foram os veículos que menos contribuíram, com uma compra abaixo de 10 mil, um acréscimo de apenas 3.1 por cento.

Detalhadamente, no ano passado, os dados apontam para existência de 764. 742 viaturas ligeiras no país, um aumento de 202.720, quando comparado com 2019 em que havia 562.022 carros.

Já as viaturas pesadas eram 224 543 em 2020, um acréscimo de 63.194 carros quando comparado com 2019 em que havia apenas 161.349 carros desta categoria.

A cidade e província de Maputo são as que mais contribuem para o crescimento do parque automóvel no país.

Do total de mais de um milhão de carros existentes, a cidade de Maputo entra para as estatísticas, com 46.5 por cento de viaturas ligeiras, o equivalente a cerca de 517 mil e 37.0 por cento de carros pesados, o correspondente a cerca de 412 mil. Já a província com o mesmo nome conta com 39.% de carros ligeiros, ou seja, pouco mais de 430 mil viaturas e 37.7 por cento, equivalente a mais de 419 mil veículos automóveis na categoria de pesados.

Menor número de carros tem a província da Zambézia com 0.1 por cento, o que significa que existem pouco mais de mil viaturas ligeiras e 0.7 por cento que é igual a mais de sete mil carros pesados, do universo de pouco mais de um milhão de viaturas no país.

Entra na lista de pontos do país com menos carros a província de Niassa, com 0.5 por cento, o mesmo que dizer mais de cinco mil viaturas e 1.2 por cento, o correspondente a mais de 16 mil veículos automóveis pesados.

Sobre estradas, as províncias de Zambézia, Niassa e Nampula, com mais de 3 mil km, são as que têm maior extensão e Maputo com a menor extensão e as poucas estradas existentes são asfaltadas.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos