O País – A verdade como notícia

Acidentes de viação já mataram pelo menos 417 pessoas este ano no país

Pelo menos 417 pessoas morreram em consequência de acidentes de viação, de Janeiro a esta parte, o que representa um aumento de seis por cento, comparativamente a igual período de ano passado, segundo o Ministério dos Transportes e Comunicações.

A imagem do acidente de Maluana, no distrito de Manhiça, vai demorar apagar-se da memória dos moçambicanos e do mundo. Trinta e duas vidas perderam-se num abrir e fechar de olhos. Sonhos e projectos interromperam-se.

Fernando Muiambo, residente do bairro Tavira, na localidade de Maluana, onde ocorreu o sinistro tem, ainda, imagens vivas da noite de 3 de Julho. “No Sábado passado houve grandes transtornos nas viaturas, que se embateram aqui na estrada, perderam a vida três dezenas de pessoas”.

Neste sábado, precisamente no local onde ocorreu a tragédia, há uma semana, decorreu uma cerimónia religiosa em memória das vítimas mortais.

População, governantes e várias confissões religiosas participaram da cerimónia, sob o lema “Estradas seguras para todos”.

O padre Miguel da igreja católica, que foi um dos sacerdotes a orientar a missa, lançou um pedido aos proprietários dos autocarros. “Estamos a pedir aos patrões, os donos dos autocarros para que não tenham somente o lucro em primeiro lugar, mas a tranquilidade e a segurança dos passageiros que eles carregam”.

No ano passado, de acordo com dados do Ministério dos Transportes e Comunicações, houve 900 acidentes de viação em todo o país. Como consequência, 850 pessoas morreram segundo avançou Dina Ribeiro, Secretária Permanente do Ministério dos Transportes e Comunicações. “As mortes, ferimentos e demais danos causados pela sinistralidade rodoviária não devem ser vistos como uma mera estatística, por detrás dos números, existe um profundo drama dos dependentes e demais parentes dos perecidos e feridos”.

Por sua vez, Joel Manhiça, da Associação Moçambicana das Vítimas de Insegurança Rodoviária, disse que a cerimónia, deste sábado, serve para colocar vários intervenientes a reflectir sobre o que tem custado a vida dezenas de pessoas, diariamente, em diferentes estradas nacionais.

Os governantes da província de Maputo, Vitória Diogo e Júlio Parruque, tomaram parte do evento e deixaram o compromisso de parar com a perda de vidas nas estradas da província.

“Nenhum tipo de distração, preguiça e corrupção irá permitir que as nossas estradas sejam palco para o desrespeito das regras de condução”.

A comunidade de Maluana acorreu massivamente ao local da cerimónia, respeitando o protocolo sanitário contra a COVID-19, participou do evento que, essencialmente, foi caracterizado por orações e preces.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos