O País – A verdade como notícia

A primeira vez do “touro”

A Associação Black Bulls perdeu, pela primeira vez, no Moçambola 2021, em casa, diante do Ferroviário de Nampula, por uma bola sem resposta e perdeu a invencibilidade que conquistou até ao fim da primeira volta da prova. Esta jornada produziu maus uma chicotada psicológica, no Ferroviário de Maputo, após derrota em Songo.

Foi, de resto, um resultado que não estava nas contas dos que acompanham o Moçambola 2021 e que sabem das valências da Black Bulls na competição.

Depois de uma primeira volta toda ela sem derrotas, onde somou apenas 3 empates em 13 jogos, os “touros” experimentaram o sabor amargo da derrota, justamente em casa, diante do Ferroviário de Nampula, com Loló, ex-jogador do Ferroviário de Maputo, a marcar o único golo (aliás, um golaço), de livre directo, quase na linha do fundo.

Uma derrota que vai, certamente, acordar a equipa de Tchumene, para o que resta do Moçambola, tendo em conta que foi a primeira, logo na primeira jornada da segunda volta. Ainda assim, nada que ameace a liderança dos “touros” na tabela classificativa. Jornada com quatro vitórias tangenciais. Para além da derrota da Black Bulls, em casa, diante do Ferroviário de Nampula, à tangente, mais três jogos tiveram resultado similar.

Em Lichinga, a equipa sensação continua em alta e sem perder em casa. Desta vez a vítima foi a Liga Desportiva de Maputo, com Dje a ser o herói e a manter perseguição a Ejaita na lista dos marcadores.

Os “locomotivas” de Lichinga seguem com 25 pontos, na quarta posição, e ainda tem muito a dizer nesta prova.

JORNADA COM QUATRO VITÓRIAS TANGENCIAIS

Para além da derrota da Black Bulls, em casa, diante do Ferroviário de Nampula, à tangente, mais três jogos tiveram resultado similar.

Em Lichinga, a equipa sensação continua em alta e sem perder em casa. Desta vez a vítima foi a Liga Desportiva de Maputo, com Dje a ser o herói e a manter perseguição a Ejaita na lista dos marcadores.

Os “locomotivas” de Lichinga seguem com 25 pontos, na quarta posição, e ainda tem muito a dizer nesta prova.

Já a Associação Desportiva de Vilankulo voltou a vergar, depois de ter vencido ao Desportivo Maputo na capital do país, na semana passada. Na sua deslocação a Nacala, os “hidrocarbonetos” sucumbiram a tangente e garantem pressão sobre Victor Mayamba, na partida desta quarta-feira, diante da Black Bulls.

Também à tangente venceu a União Desportiva de Songo ao Ferroviário de Maputo, num dos jogos mais importantes da jornada.

Uma vitória que recoloca os “hidroeléctricos” na perseguição da liderança, e provoca um auténtico tsunami na estação ferroviária de Maputo.

Daúde Razaque acabou por não aguentar com a senda de maus resultados e, a escassos 22 dias do fim do seu contrato, foi afastado pela direcção, chamando para o seu lugar Carlos Baúte, de forma interina.

TAMBÉM À TANGENTE, MAS COM MAIS GOLOS NA SOALPO

Já na Soalpo, o Incomáti de Xinavane pode ter amenizado a sua ameaça de abandonar o Moçambola, após vitória sofrida, diante do aflito Textáfrica do Chimoio.

A turma de Xinavane enfrentou dificuldades e aproveitou-se da fragilidade encontrada na turma de Chimoio, com a saída de Artur Semedo, que foi ao Costa do Sol por três anos. Semedo até tinha formado uma base para este jogo antes da sua saída, mas Custódio Paruque desfez a equipa de Semedo e deu-se mal.

Os “fabris” continuam a travessia no deserto, que tinha sido interrompido na jornada passada, com empate diante do Ferroviário da Beira, e na próxima jornada deslocam-se ao difícil terreno do outro Ferroviário, o galvanizado de Nampula.

“ALVI-NEGROS” SACODEM PRESSÃO E VENCEM LANTERNA VERMELHA

Num dos jogos transmitidos em directo pela Stv Notícias, o Desportivo Maputo suplantou o Matchedje de Mocuba por duas bolas sem resposta.

Foi um embate entre um novato e um experiente, ou seja, entre David e Golias, com a história a repetir-se, uma vez que o novato Satar Salvado conseguiu colocar em sentido o experiente Nacir Armando.

Danito e Litos, este ao apagar das luzes, fizeram os golos da turma de Maputo, que sacode a pressão, respira de alívio e sai da zona da despromoção. Mas agudiza a crise dos “militares” de Mocuba, que mantém-se na cauda da tabela classificativa.

SEMEDO AINDA NÃO SE SENTOU NO BANCO

Na outra partida mais importante desta 14ª jornada do Moçambola, o Costa do Sol, ainda sem a sua equipa técnica nova, liderada por Artur Semedo, que assistiu o jogo pela bancada, recebeu e venceu o Ferroviário da Beira e parece estar a acordar.

E foi Jossias Macamo a comandar a equipa para uma vitória importantíssima, na nova era, colocando a equipa com duas dezenas de pontos, a perspectivar uma segunda volta ainda mais emocionante, já ao leme de Artur Semedo e seus adjuntos.

Para já, em termos de tabela classificativa, os extremos continuam sem se mexer, com a Black Bulls a liderar e o Matchedje de Mocuba na cauda da tabela classificativa.

A próxima jornada, a 15, disputa-se a meio da semana, com Liga Desportiva de Maputo e União Desportiva de Songo a abrirem, amanhã, terça-feira.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos