O País – A verdade como notícia

A primeira vez de Tanucha em França!

Foto: O País

A internacional basquetebolista moçambicana, Leia Dongue, estreia-se, sexta-feira, 25 de Setembro, na Liga Francesa Feminina de Basquetebol. O Nante Rezé Basket, conjunto para o qual se transferiu esta temporada, bate-se com Villeneuve em jogo da 1.ª jornada da fase regular da prova.

Há, diga-se, sempre uma primeira vez na vida! E esta será a primeira experiência de Leia “Tanucha” Dongue em França, país onde somente uma basquetebolista moçambicana jogara e brilhara: Clarisse Machanguana, poste que evoluiu no Tarbes (2003) e Montpellier (2005-2006).

“Tanucha” inicia, a sério, a sua aventura em terras de Charles De Gaulle precisamente a 25 de Setembro, quando o Nante Rezé Basket receber o Villeneuve em desafio da 1.ª jornada da fase regular da prova.

Depois, a 3 de Outubro, a equipa da  melhor basquetebolista da actualidade no país defronta o Roche,  conjunto com o qual perdeu há dias (53-77) em jogo de preparação da temporada 2020-2021.

O calendário definiu ainda que o Nantes Rezé Basket, orientado por Aurélie Bonnan, vai jogar a 7 de Outubro, em casa, com o Bretagge, e três dias depois mede forças com o Lyon.

Três dias depois, ou seja, 10 de Outubro, o adversário será o Tarbes, antiga equipa de Clarisse “Match” Machanguana.

Depois de uma temporada (interrompida devido à pandemia da COVID-19) assinalável no Campus Promete da Espanha, onde obteve o registo de 16,2 pontos e 8 ressaltos, a basquetebolista de 29 anos quer deixar a sua marca em França.

Os  dados estatísticos e  exibições em  Espanha dão, de resto,  boas indicações de que “Tanucha” pode se impor nesta aventura em França.

Primeiro, porque antes de se transferir para o Campus Promete, “partiu a loiça” e sagrou-se pelo  Uni Girona, em 2019.

Na época, teve médias de 7,3 pontos e 5,6 ressaltos em 16 minutos por jogo e  59%  de aproveitamento nos lançamentos de  campo.

No seu percurso na Espanha, há a registar o facto de Leia Dongue ter assinado, em Janeiro de 2018, contrato com o  Gernika, clube no qual  obteve média de 11,4 pontos e 4,9 ressaltos em 19 minutos/ jogo, brilhando contra o Sedis (22 pontos em 25 minutos), Girona (21 pontos em 26 minutos) e Ferrol (20 pontos e 10 ressaltos).

Recuando ainda mais no tempo: Março de 2016, Leia Dongue teve a primeira experiência no basquetebol profissional na Europa ao assinar pelo Al-Qazeres, clube  da segunda divisão da Espanha.

Estava escrito que ia brilhar! Os seus registos comprovam-no: média de 17,2 pontos, 7,9 ressaltos e 17,2 de eficiência em 22 minutos/jogo).

Resultado?  Leia Dongue foi determinante para que a sua equipa ascendesse à Liga Dia, primeira divisão espanhola após 25 pontos e 10 ressaltos no jogo decisivo.

Dongue também jogou pelo Cegledi EKK na liga húngara, onde em 7 jogos apresentou estatísticas impressionantes: 15,4 pontos e  6,6 ressaltos por jogo. Em seis jogos na Euroliga feminina, Leia Dongue teve os seguintes targets:  15.7 pontos e 5, 8 ressaltos/jogo.

 

 

PRIMEIRO ÁFRICA, DEPOIS EUROPA

Com um percurso brilhante, Leia “Tanucha” Dongue jogou representou o Desportivo Maputo durante a primeira parte de sua carreira, vencendo a Taça de Clubes Campeões Africanos em 2008, em Nairobi, no Quénia.

Em 2009, Tanucha obteve uma média de 9,4 pontos e 7,1 rebotes em 19 minutos por jogo no “Afrobasket””, tendo igualmente no mesmo ano sido indicada para a equipa ideal da Taça dos Clubes Campeões Africanos.

Em 2012, Leia disputou a fase de qualificação para os Jogos Olímpicos, sendo que o seu registo nesta prova foi de 12,5 pontos e 8 ressaltos por jogo. No mesmo ano, Tanucha, em representação da extinta Liga Desportiva, conquistou a Taça dos Clubes Campeões Africanos e foi indicada para o cinco ideal da prova disputada em Abidjan, na Costa do Marfim.

Porque sempre em crescimento, em 2013, em Maputo, ajudou a selecção nacional de basquetebol sénior feminino a conquistar a medalha de prata na prova. O seu registo na prova foi de  14,3 pontos, 8 ressaltos e 2,6 roubos de bola em 23 minutos por jogo, sendo ainda de destacar a média de 67% nos lançamentos de campo.

Ao nível de clubes, assinou contrato com o 1º de Agosto de Angola, clube com o qual viria a ser nomeada para a equipa ideal da Taça dos Clubes Campeões Africanos de basquetebol com média de 21,7 pontos e 9,3 ressaltos em 27 minutos por jogo.

Dongue esteve presente, em 2014, no Campeonato do Mundo de basquetebol onde registou média de  15 pontos e 11,7 ressaltos por jogo, brilhando contra a França (18 pontos e 11 ressaltos) e  Turquia (17 pontos e 14 ressaltos).

Já em 2015, Leia Dongue venceu a Taça dos Campeões Africanos e, em 2016, foi nomeada a primeira equipa da mesma competição.

Em 2017, Leia Dongue conquistou pelo 1º de Agosto a Taça dos Clubes Campeões Africanos e foi nomeada para a equipa ideal da competição. O seu registo foi de 15,7 pontos e 5,7 ressaltos em 22 minutos por jogo, com 64% de aproveitamento nos lançamentos de campo.

Foi, no mesmo ano, preponderante para que Moçambique ocupasse o quarto lugar no Afrobasket de Bamako, Mali, onde teve médias de 16,9 pontos e 7,6 ressaltos por jogo.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos