O País – A verdade como notícia

A moda necessita de um investimento sério

“É necessário investir em procedimentos técnicos antes de se levar as nossas modelos às passarelas. E, nesse sentido, o país tem um défice enorme”. Quem pensa assim é Manuel Lima, da Bee Like Model, uma instituição vocacionada a formar modelos desde muito novas.

A ideia da escola é fazer com que as adolescentes e jovens moçambicanas que aspiram ser top model possam ter uma preparação acentuada nesse processo. Tal atitude, tem na motivação a percepção de que, actualmente, “há cada vez menos entidades focadas em investir nesta arte, a nível nacional. Como consequência, é visível a falta de traquejo de muitas que vão à passarelas, por não existir um rigor ao nível da selecção, da motivação, o que cria uma situação negativa. Para reverter o cenário, criamos a escola que enche de ferramentas teóricas e práticas as candidatas a modelos”, explicou Manuel Lima da Bee Like.

Além de formar modelos, sobretudo nas componentes de saber ser, vestir e estar, a Bee Like Model agencia-as, preparando-as para um padrão internacional. Por isso, as meninas são desafiadas a aprender a falar inglês e francês, de modo que, em geral, a língua não constitua para elas um factor de exclusão. Passa pela instituição localizada em Maputo preparar as meninas modelos para vida, por via da moda, porque “a cultura é importante para o individuo”, defende Manuel Lima.

Como forma de dar crédito a instituição, a escola tem contratos com as modelos, com o conhecimento dos pais/ encarregados de educação, e atribui diplomas. O propósito consiste em encontrar mecanismos que permitam exportar modelos qualificadas aos mercados da moda internacional.

 

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos