O País – A verdade como notícia

A face humana do drama de acesso à água potável no país

Em Março deste ano, o Conselho Mundial da Água, da sigla em inglês (WWC) colocou-nos no grupo dos oito piores países no que diz respeito ao abastecimento de água potável, com apenas 51% da população com acesso à água própria para o consumo humano. Esse número fala, mas não diz tudo: na província de Inhambane, concretamente nos distritos de Govuro e Inhassoro, existe população que por falta de fontes de água recorre à água da chuva estagnada na berma da Estrada Nacional n°1 para conseguir o pouco do líquido para a sobrevivência, já que “sem água não há vida”. A chuva que caiu durante a semana passada constituiu um alívio para muitas famílias que vivem desesperadas. “Passamos mal porque há falta de água. Existe um furo, mas está muito longe daqui da nossa zona. Quando voltámos da machamba cansados, não conseguimos ir ao furo e nos sujeitamos a ficar com a sede”, desabafou uma idosa que a encontrámos com bacias e bidões a tentar aproveitar os focos de água que se formavam na sua machamba, a escassos metros da estrada. Trata-se de água turva, consumida sem nenhum produto para matar quaisquer agentes que possam causar doenças. Os nossos entrevistados disseram não ter acesso a produtos de purificação como a famosa Certeza. “Lavamos a roupa e bebemos esta água por causa da pobreza”, diz outra idosa da qual quisemos saber se não contraem doenças por isso: “transmite doenças, mas o que fazer perante a sede?”.

Pode tratar-se de algo isolado naqueles distritos. Entretanto, ainda que fosse uma família não mereceria beber aquela água. Trata-se de um drama humano por detrás das estatísticas – o acesso à água potável ainda continuam um privilégio de alguns neste país. Para ajudar no melhoramento do desempenho do sector de água em Moçambique, é lançada hoje Plataforma Moçambicana de Água (PLAMA) que envolve instituições académicas, o sector privado e a sociedade civil, com o fim único de criar um mecanismo de diálogo estruturado entre os intervenientes do sector de águas para a melhoria do serviço prestado.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos