O País – A verdade como notícia

“A chave para empregabilidade é a educação”

A antiga Presidente da República da Costa Rica, Laura Chinchilla, defende que a chave para a geração de empregos, crescimento e desenvolvimento de um país é a educação. A antiga governante buscou o exemplo do seu país que era uma nação pobre, mas alterou o cenário através da aposta na educação a todos os níveis.

A Costa Rica é um país que detém recursos naturais como o gás e o petróleo, mas a nação, segundo Chincilla, optou por não explorá-los.

“A Costa Rica era um país muito pobre há 50 anos, mas decidimos apostar na educação, somos um país rico em hidrocarbonetos, mas não os exploramos, optamos por investir no capital humano. E esta foi a melhor decisão que tomamos. A chave para maior empregabilidade é a educação, educação e educação. Não há outra chave para este desafio”.

Laura Chinchilla foi a oradora principal do tema “Como Garantir maior empregabilidade dos jovens em Economia em Desenvolvimento”, no primeiro painel desta tarde no MOZEFO Young Leaders.

Quando questionada sobre que caminho Moçambique deveria seguir para sair da lista dos países pobres e ocupar um dos lugares dos países desenvolvidos a resposta rápida e clara – educação e aposta na tecnologia.

“A aposta na tecnologia vai permitir a qualquer país dar um salto. Se Moçambique investir na educação tecnológica vai permitir que as novas gerações possam transformar o país e gerar riqueza. O cenário pode mudar”.

A oradora explica que a aposta na educação deve permitir que as crianças, adolescentes, jovens e adultos ganhem competências para trabalhar em qualquer país. A aposta nas infraestruturas e tecnologias é o futuro porque podem gerar mais empregabilidade e se enquadram no novo panorama mundial.

A antiga Presidente da Costa Rica chamou atenção aos jovens presentes na sala, futuros líderes, que a existência de recursos naturais não gera riqueza. O mais importante que qualquer Estado deve fazer é investir no seu capital humano.

“A maior de riqueza de qualquer país é a seu povo. Devemos garantir que a educação possa gerar riqueza. É muito importante investir nas pessoas se quisermos gerar riqueza. Petróleo e gás por si só não geram riqueza. É importante que 100 por cento das crianças tenham, educação primária, os adolescentes e os adultos também tenham educação”, enfatizou a antiga estadista.  

A oradora reforçou que todos os países poderão ter as mesmas oportunidades e possibilidades, o que os diferencia são as escolhas que fazem e que África poderá desenvolver se apostar no seu capital humano.

“O que falta nos países africanos é a aposta na educação, apostar no seu povo, para que todas as riquezas que são dadas pela natureza possam gerar riqueza. Todas as crianças nascem iguais com as mesmas potencialidades. Deve se investir na educação logo que a criança nasça, porque só assim vemos quais são as potencialidades das crianças. Os países africanos devem o fazer, para garantir uma geração capaz de gerar riquezas, transformar os recursos naturais em desenvolvimento para todos”, concluiu Laura Chinchilla.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos