O País – A verdade como notícia

92 países não têm políticas de remuneração para licença de paternidade

Noventa e dois países não têm políticas nacionais para que os novos pais tenham remuneração adequada para cuidarem dos recém-nascidos em licença de paternidade. Por outro lado, cerca de 90 milhões de crianças no mundo, com menos de um ano, vivem em países onde seus pais não têm direito a um único dia de licença de paternidade, segundo análise do Fundo das Nações Unidades para Infância (UNICEF).

A Directora Executiva do UNICEF, Henrietta H. Fore, diz que é da responsabilidade dos pais capacitar seus filhos para o desenvolvimento do cérebro.

"A interação positiva e significativa com mães e pais desde os primeiros dias de vida da criança ajuda a moldar o crescimento e o desenvolvimento do cérebro das crianças para a vida, tornando-as mais saudáveis e mais felizes, e aumentando sua capacidade de aprender ", disse Fore.

Quando os pais se ligam aos seus bebés desde o início da vida, são mais propensos a desempenhar um papel mais activo no desenvolvimento de seus filhos.

O UNICEF apela aos governos a implementarem políticas nacionais voltadas para a família, que apoiem o desenvolvimento da primeira infância, incluindo remuneração na paternidade, para ajudar a fornecer tempo para os pais, recursos e informações de que precisam para cuidar de seus filhos.

No entanto, muito trabalho ainda permanece por ser feito. Em oito países do mundo, incluindo os Estados Unidos, que abrigam quase 4 milhões de bebés, não há política de licença de maternidade ou de paternidade remunerada.
Caso de Moçambique

Como resultado das actividades levadas a cabo em prol da promoção e protecção do Aleitamento Materno, em Moçambique 55 por cento das crianças menores de seis meses são amamentadas exclusivamente ao peito.

Ainda não há dados específicos sobre cuidadores e práticas de cuidados de bebés e crianças. Não obstante isso, o Fundo das Nações Unidas para a Infância congratula ao Governo de Moçambique pelos esforços envidados para o  desenvolvimento de políticas e normas que asseguram o melhor início de vida das crianças.

Recentemente a licença de maternidade para o sector público foi acrescida para um período de três meses, por forma a permitir o aleitamento materno exclusivo das crianças e maior envolvimento de pais cuidando de seus filhos com vista ao melhor desenvolvimento cerebral das crianças no máximo do seu potencial.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos