O País – A verdade como notícia

40 anos de carreira, um corpinho de 30 e uma voz: Stewart Sukuma

Stewart Sukuma vai comemorar 40 anos de percurso musical com vários espectáculos ao longo do ano. O lançamento das festividades foi feito esta quarta-feira, na Cidade de Maputo.

Em 1982, Stewart Sukuma tinha 19 anos de idade. Nessa altura, o cantor e compositor chegara a Maputo haviam cinco anos. Na capital do país inspirou-se em vários “mestres”, como Hortêncio Langa, antes de pegar o microfone para interpretar as suas próprias cancões. Quando a coragem não lhe desiludiu, então, em 1982, deu por si a caminhar num percurso que, agora, dura há 40 anos.

Para o autor de hits como “Sumanga”, “Olumwengo”, “Tingalava”, “Moçambique”, “Material world”, “Why” ou “Felizminha” é difícil explicar o que são os 40 anos de carreira. Stewart Sukuma ira completar 59 anos de idade no próximo dia 25 deste mês de Março. Quase a vida toda, usou a palavra para expressar sentimentos seus e de um povo. No entanto, faltam-lhe palavras quando tem de olhar para trás e pensar no que foi feito por si. Por isso mesmo, na cerimónia de lançamento das celebrações dos 40 anos de percurso musical, realizada na sede do Moza Banco, em Maputo, mais do que pensar ao pormenor sobre os significados de uma escolha, o músico partilhou algumas convicções. “Tenho a certeza de que foram 40 anos de descobertas e lutas permanentes, porque, quando comecei a cantar, não havia indústria musical em Moçambique”.

Realmente, os tempos eram difíceis. Os mais velhos, por exemplo, lembram-se de que a década de 80 foi do “se não fosse eu”, ou seja, do repolho e do carapau. Mesmo assim, Sukuma esqueceu a fome e, segundo transpareceu esta quarta-feira, fez da música uma espécie de alimento para sua e para a alma de muitos moçambicanos. Nesse percurso, claro, houve amigos experientes que o ajudaram tanto. Por exemplo? “Pessoas como Aurélio Le Bon, com mais experiência, levaram-nos a projectos mais sérios”.

Mais do que olhar para o passado com nostalgia, com efeito, Stewart quer perspectivar o futuro. Na primeira pessoa: “Quero encarar estes 40 anos como o início de uma nova fase, do que vem a seguir; quero continuar a fazer música, a entregar o meu coração ao povo moçambicano, a promover este país ao nível nacional e internacionalmente, e a mostrar que há um coração muito grande na juventude deste país”, disse o homem da Felizminha, para, logo a seguir, reconhecer implicitamente que já não é tão novo assim: “Quero partilhar a aprendizagem destes últimos anos com todos os jovens que estejam interessados”.

No entanto, quem não foi à boleia de Stewart Sukuma, na cerimónia, foi José Eduardo Agualusa. Para o escritor angolano, o músico tem uma juventude que dá inveja. “Quero cumprimentar o Stewart. É extraordinária esta coisa de fazer 40 anos de carreira num corpinho de 30. Não entendo como isso é possível e é de dar inveja. Acompanho-o há 30 anos e somos amigos há 20. Já escrevi letras para as suas cancões e espero continuar a escrever. Temos projectos para frente. Além da tua juventude, da tua música, ainda mais importante é a tua generosidade, és uma pessoa boa e é um enorme privilégio ser teu amigo”.

A representar o Moza, instituição com a qual o músico colabora, esteve o PCE, Manuel Soares. “Para Moza Banco, é um grande privilégio estar aqui para assinalar o lançamento das comemorações dos 40 anos de carreira de Stewart Sukuma, que é compositor, activista social, actor e, qualquer dia, vou convidar para ser bancário também”.

Segundo lembrou Soares, Stewart Sukuma é multifacetado e talentoso homem das artes e da cultura. Por causa disso, “para nós, é uma honra tê-lo como embaixador, uma figura com história e percurso indelével no panorama cultural nacional, com valores que difunde a nível nacional e além-fronteiras”.

As comemorações dos 40 anos de percurso artístico de Stewar Sukuma irão realizar-se ao longo de várias cidades nacionais, claro, com espectáculos, a partir de Junho até ao final do ano. Gaza, Inhambane, Tete e Cabo Delgado já estão na agenda dos locais que o músico irá visitar para, uma vez mais, cantar Moçambique.

 

 

 

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos